Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

MARIA INÊS ANTUNES

Nutricionista

MARIA INÊS ANTUNES

Nutricionista

Gelado probiótico (de Kefir) - a perdição

por Maria Inês Antunes, em 17.05.17

Não sou fã de batidos, aliás nunca fui. Sempre gostei da fruta fresca e de a mastigar. Mas ultimamente, com este calor, tenho sentido vontade de comer algo gelado...

 

 

...E decidi  fazer um smothie, mas numa versão gelada.

 

A fruta quando está demasiado madura ou menos bonita pode ser congelada e utilizada numa série de invenções culinárias. Uma delas é o smothie gelado.

 

O que vos parece?

 

IMG_20170514_104524.jpg

 

  Juntei:

- 150g frutos vermelhos congelados

- 50g de kefir [opção: iogurte (magro ou soja) ou bebida de amendoa]

- canela q.b.

- stevia liquida

 

E triturei tudo com uma varinha mágica.

 

IMG_20170514_104841.jpg

 

Fica extremamente cremoso e muito fresco. O sabor: uma perdição! (A minha perdição!) Pode ser uma excelente opção de pequeno almoço e pode ser um fantástico lanche. É muito prático e rápido de preparar e as frutas podem ser variadas. 

 

Quanto ao valor nutricional: exímio!

 

Juntou-se o útil ao agradável: uma boa dose de antioxidantes obtidos pelos frutos vermelhos com as propriedades fantásticas do kefir. O kefir é um alimento probiótico. Os alimentos probióticos contêm bactérias vivas que exercem efeitos benéficos no organismo humano. Estes alimentos têm 2 benefícios essenciais:

- melhoram a função intestinal, por repopulação da flora bacteriana intestinal natural; e

-  tornam o sistema imunitário mais eficaz. (“não se esqueçam que o intestino é uma barreira ente aquilo que comemos e o que é absorvido pelo nosso organismo”)

 

IMG_20170514_104853.jpg

 

Querem mais razões para provar esta delícia?

 

 

 

Pachamama - o restaurante BIO de Lisboa

por Maria Inês Antunes, em 05.05.17

Visitei o Pachamama,

o primeiro restaurante biológico de Lisboa e...

 

18336877_399333247126999_1386565979_ny.jpg18237928_1193981050724833_6671450999326984041.jpg

 

Cheguei cedo para almoçar. 

Em cima da mesa já estava um saco de pano com pão e uma pasta vegetal, que depois vim a perceber que é diferente todos os dias. Neste dia esta pasta era feita principalmente por dois ingredientes: feijão e coentros.

Provei o pão. O pão, feito farinhas biológicas moídas em moinho de pedra, com fermentação lenta e sem recurso a qualquer fermento, fez-me lembrar o pão da aldeia da minha avó. Nunca tive o hábito de comer pão à refeição, mas desta vez tive de o provar: de sabor intenso, um pouco ácido e aspecto rústico, é sem dúvida para mim, o melhor pão de Lisboa. Para quem gosta de pão há que experimentar este! Podem comprá-lo em vários locais, como por exemplo no Celeiro.

 

18199280_1183457218447365_2149991727538769307.jpg18302209_399330863793904_586171904.jpg

 

Para entrada pedi a sopa de legumes que foi servida com sementes e o azeite em cru como topping. E como queria provar dois pratos: o de peixe e o crú, pedimos 2 pratos diferentes e dividimos. Os raw zoodles, com o pesto de abacate que fazia lembrar o guacamole, estavam divinais. E a corvina corada sobre couve salteada e batata doce aos cubinhos era uma delícia.

 

ADOREI como amante de comida saborosa, como apaixonada por comida saudável, como cliente exigente com o atendimento e como nutricionista.

 

O ponto negativo: não existerem MAIS Pachamama's espalhados pelo país...

 

18308697_399333003793690_453493694.jpg

 

 

Maria Inês Antunes

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D